Acho que nunca peguei uma fila tão grande na vida. Talvez quando fui ver o Paul McCartney no Beira-Rio, o que torna a Campus Party tão famosa quanto os Beatles, e consequentemente, mais que Jesus. Sete horas no calor, com uma mochila, três sacos de Doritos e um de Cheetos Bola, pois adoro o cheiro de xulé pela manhã e meu notebook Positivo (zoa não galera, é meu notebook mesmo, sou pobre e aceito doações) e a companhia de meu querido amigo, @matheuslaneri.

O combinado desde a noite anterior era: dormir o mínimo possível, sentado que fosse, banho em última hipótese (bolor, gangrena ou lepra), se alimentar somente de salgadinhos, energéticos baratos e Muppy, e claro, fazer downloads ilegais como se não houvesse amanhã e agitar muitoooooooooooooooo na Internet. Resumindo: se comportar feito micos de realejo.

Entrar na CParty não é lá uma tarefa muita fácil, depois da primeira fila, tem a fila pro teu equipamento entrar, depois tem a fila do camping, a fila do pão, a fila do INSS e até a fila de espera por um fígado novo. Em questão de fila me lembrou muito quando morei na URSS e a gente ficava esperando a ração do governo.

A fila para o camping

Vencidas as filas, é chegada a hora de achar um lugarzinho numa bancada, pegar um cabo, conectar, e sentar naquela cadeira que será sua residência por uma semana inteira. Suprimentos, equipamento, Hipoglós, por que não há hemorróida que aguente e lá vamos nós! As primeiras providências online são avisar no Twitter, Facebook, Orkut, LinkedIn e Badoo que você está na ~~~~Las Vegas dos Geeks~~~~ . Feito isso, abrir o uTorrent e mandar ver em 250 Tera de hard porn. Sim, por que vocês acharam que eu ia pra CParty ficar baixando Friends? Isso eu faço em casa, lá era só Latex Pets in Training pra baixo.

É claro que sempre há tempo para uma partidinha online de Counter Strike né, que eu também sou filha de Deus, apesar de 85% da CParty se declarar atéia por que tá na moda, all the cool kids são ateus, mas vamos que vamos. A gente zuou horrores jogando CS, é toda uma emoção nova jogar CS suando em bicas num grande galpão com cheiro de estábulo, dá, sei lá, uma realidade, agora entendo quando o #CARLOS diz que pode pilotar um avião por que já jogou muitos joguinhos de pilotar, faz todo o sentido. Se tu jogar bastante aqueles joguinhos em flash japoneses que tu tem que bolinar a garota sem acordá-la tu consegue facilmente entrar no BBB, imagino eu.

Mas CParty não é só zoação, né pessoal. Tem também toda uma geração de conteúdo de relevância ímpar, palestras e trocas de informação. Curti muito assistir blogueiros e tuiteiros falando o que é necessário para trocar um twitt por um brinde. Achei super útil.

Aliás, falando em brinde, CParty sempre rola muitos brindes. Todos que ganhei pensei: “nossa como vivi sem essa caneca até hoje?” Claro que tenho canecas em casa, mas eu comprei elas no supermercado, não ganhei num super evento massa desses. O donut do Opera não curti muito não, tava com gosto de jaula. Manja quando tu vai no zoológico, chega muito perto das capivaras e fica aquele cheiro/sabor impregnado? Algo assim.

Brindes super daora

O quesito comida, inclusive foi um pouco complicado, admito. Depois que meus salgadinhos acabaram começou a bater aquela fominha de algo mais sólido, algo que levasse menos fibra de vidro na composição. Então era melhor achar um x-salada e um refri pra empurrar a maçaroca pra baixo. Como tudo estava caríssimo resolvi esperar pelo jantar mesmo, afinal paguei pela alimentação cinco estrelas fornecida pelo Fasano (um fornecedor de quentinha totalmente excelente ali perto do Canindé), e bom… não estava de todo ruim não, o frango tava ótimo, mas é sempre bom não exagerar, afinal pode não fazer bem para o meu coraçãozinho hipertenso.

Depois de alimentada era hora de socializar. Engraçado que a Cparty tá cheia de pessoas que não saem de casa pra ir pro cinema, por que têm medo de gente, mas lá eles se sentem a vontade. Então, por que não fazer amizades né, trocar experiências sobre o último Fest Comix, sobre um episódio de Dr Who, sobre o #lingerieday, enfim, essas coisas triviais?! Então comecei a convocar a galere no Twitter, nossa rolou maior zua, conheci várias arrobas, algumas um pouco tímidas demais. Teve um rapaz inclusive que conheci no World of Warcraft que teve problemas pra articular uma palavra e chegou a se babar um pouco mas tudo bem, quem nunca? Eu mesma quando como biscoito de polvilho no busão indo pra praia produzo uma baba viscosa e cuspo farelo, mas isso fica para o texto sobre road trip. Marcamos até uma super baladinha do lado de fora onde um famoso blogueiro ficou encarregado de levar cerveja quente no porta malas do carro. SÓ OS FERVO NÉ!!!??

A única coisa que realmente me incomodou a ponto de fazer cara feia e até tentar achar alguém da organização lá foi a água. Sabe… tentei um bebedouro, mas saía um líquido branco e viscoso de lá. Fiquei na duvida se era leite, água suja ou esperma mesmo. E se era esperma, era humano, bovino, caprino ou suíno? Suíno é tenso, eu ainda tenho medo da gripe, afinal fiquei de quarentena quando rolou aquele surtão lá. Resolvi não beber água e ainda fortifiquei meu juramento de não tomar banho. Juramento esse que quase a totalidade da CParty segue, é quase uma Tropa dos Lanternas Encardidos:

No dia mais quente
Na catinga mais intensa
O sabonete sucumbirá
Ante à minha presença

O dia dois dessa aventura já estava quase chegando e eu não ia me render ao sono. Mas eu sou uma vencedora , driblei o sono como pude, bebi coca com café, bebi Coca Cola, bebi o líquido viscoso do bebedouro, gritei a noite toda com os gamers feito internos de um manicômio judiciário e por final a noite dissipou-se e eu me sentia soberana. Mestre do meu domínio, rainha do meu castelo. Infelizmente as 10:00 da manhã desmaiei em cima da barraca, quase perfurando um pulmão.

Acordei no dia seguinte sem saber onde estava e sentindo um forte odor de vestiário. Não consegui identificar de primeira de onde vinha, mas aparentemente vinha de todos os cantos. Ainda com um pulmão colapsado, um rapaz com forte sotaque espanhol me ajudou a levantar. Agradeci e rumei para minha mesa, afinal a Internet nunca para, independentemente da quantidade de sangue que tu está cuspindo.

O segundo dia foi mais tranqüilo apesar das intempéries que sofremos, palco caindo, teto desabando, mundo acabando, Internet falhando e interrompendo a magia do látex, quedas de sistemas vitais ao bom funcionamento do evento e um budum que só aumentava. Mas eu não podia deixar de estar presente a gravação de todos os podcasts, onde blogueiros famosos e sem o menor traquejo social davam dicas preciosas sobre a vida em geral. Infelizmente não consegui apertar a mão de nenhum deles, devido ao grande esquema de segurança e as belas mulheres da Fórmula 1 em volta deles (duas adolescentes com sérios problemas de acne que ficavam rondando os proeminentes rapazes de blogosfera o tempo todo).

Depois do tufão que nos assolou chegou a hora de caçar brindes. Passei mais algumas horas em filas e floodando a timeline alheia dando RT em promoções para ganhar canecas usadas, canetas, tupperware, folhinhas de geladeira,catalágos da Hermes, agendas de 1993 e toda uma sorte de coisas bacanéx. Acabei ganhando um pacote de salgadinhos Torcida que cheirava exatamente como o corner dos gamers.

A noite a galerinha resolveu conhecer a noite de São Paulo, mas como eu estava pobre demais para pagar 12 dilmas numa long neck de Skol Beats, fiquei por lá mesmo aproveitando a noite para mais downloads e mais zoação na deep web.

Dessa vez consegui não dormir graças a uma mistura de Pepsi, Guaraviton, rebite e a dor no pulmão que aumentava cada vez mais. Amanheci com algumas feridas na parte posterior da coxa por ter ficado muito tempo na mesma posição na cadeira, mas nada que um bálsamo feito com a água/esperma do bebedouro e farelos de Pingo D’Ouro não resolvesse.

Infelizmente, meu companheiro de aventura precisou se ausentar, me vi sozinha naquele mar de geeks quando as coisas começaram a ficar bem estranhas. Rumores de furtos surgiam de todos os lados, relatos terríveis de pessoas que tiveram suas barracas vilipendiadas, seus brindes subtraídos e suas toalhas jamais usadas, roubadas. Uma barbárie. Smartphones, notebooks arrancados do seio de suas famílias de forma cruel.

Juntou-se uma turba enfurecida vestindo máscaras do V, fazendo um verdadeiro #occupycampusparty #forasarney #preçojustonessaporra ao redor da organização do evento, cobrando segurança e satisfações. O principal ponto era o reembolso de brindes, nada mais justo, afinal notebook podíamos comprar outros, mas brindes exclusivérrimos da CParty nunca mais. A balbúrdia estava armada, o odor de meia só aumentava e eu comecei a ficar tonta, doía muito para respirar mas eu não podia deixar de registrar aquele momento histórico de levante e postar no You Tube. Aguentei firmemente.

Máscara do V


Foi quando a polícia chegou, fez perguntas, investigou, abriu um kit CSI, tomou um café, comeu uma coxinha e conseguiu prender em flagrante um boliviano que estava cometendo uma série de atos criminosos lá dentro. Olhei bem e vi que o foi o mesmo cara que me ajudou a levantar da barraca.

Depois disso não me lembro de mais nada, acordei no hospital com um tubo no nariz agarrada a minha caneta do Submarino. Estava ótima Campus Party. Vejo vocês lá ano que vem!

Comente pelo Facebook

Orgulhosa portadora de um green card da República Rio Grandense, botafoguense por herança maldita, a véia louca dos gibis que odeia adaptação pra cinema, Decepticon whore, Supergirl de xicréte e rabeta da centopéia humana. Bebo mais do que deveria e ouço Wilco menos do que gostaria. Produção de áudio pra viver e ponte aérea PoA/SP no tempo livre.

ARTIGOS SEMELHANTES

20 COMENTÁRIOS

  1. Tenho vontade de ir na Campus Party conhecer os arrobas, como você disse… rs
    Fico imaginando como são as pessoas que escrevem aqui (e em outros blogs) pessoalmente…
    Fora que eu seria aloka dos brindes, pq quem resiste a uma caneca ou caneta TOTALMENTE free?

    =)

    • Pelo menos dois você já conhece pessoalmente XD

      Ainda não marcamos de jogar um Xbox 360 ou PS3.
      Chegaram essa semana aqui em casa GH Metallica e Dark Souls. Inté dona moça!

      • Filipe, é verdade, você e a @mayaritafranca (que conheço até demais!). Se nós três nos juntássemos lá não ía sobrar brindes pra ninguém! rsrs
        Temos que combinar um dia, o que eu mais quero jogar é o UFC Trainer no kinect. =)
        E vê se para de jogar e vai escrever no Cerebelo!!!

  2. ho-ho-ho-he-he-ha-ha-ha A tropa do Lanternas Verdes virou um troço tão babaca, tão trouxa com todas esses espectros diferentes de cores e seus respectivos e ainda mais bestas juramentos, que até o juramento da tropa “Dos Não Banháveis” parece verossímil:

    “No dia mais quente
    Na catinga mais intensa
    O sabonete sucumbirá
    Ante à minha presença”

    “E todos vai chorar Quando a catinga emberne dos participantes cheirar “

  3. Lendo o texto fiquei com a impressão de que você escolheu as pessoas erradas para se enturmar por lá, hahaha. Galerinha que não sai da frente do PC nem pra tomar banho sempre teve bem como a molecada da bagunça e dos brindes. Pô, 7000 pessoas né? Tem gente de todo tipo.

    O legal é que para o próximo ano você já sabe que correr atrás de brinde não vale a pena, chegar no primeiro dia e na primeira hora pra enfrentar 3h de fila também não (Chegando à noite só peguei uma fila com meia dúzia no credenciamento do equipamento), etc., etc., etc.

    A qualidade das palestras deu uma caída mesmo, a cada ano vou mais pela galera que as palestras, o que não significa que não tenha conteúdo útil na de desenvolvimento dentre outras, debates no campus fórum, etc. Agora, se você for olhar justamente área e a palestra dos “blogueiros e tuiteiros falando o que é necessário para trocar um twitt por um brinde” ai o problema não das palestras né? :D

  4. Obviamente que conseguiste superar tudo isto por tua fibra riograndense, afinal como resistir esta barbarie no Brazil. No embaixador Bairrista que o diga…

  5. Tenho vontade de ir a este belo evento, de tamanha magnitude. Deve ser daora passar 3 dias sem tomar banho e não ser repreendido.

Deixe uma resposta