Screen Shot 2013-06-05 at 14.49.24

Com amplitude crescente os arcos que o vento espalhava pela palha molhada seguiam a grande planície dourada até onde os olhos conseguiam alcançar. Aos poucos o sol aproximava-se do horizonte. Sem pressa o viajante solitário seguia seu caminho com a roupa chicoteando no vento, abrindo passagem pela vegetação com seus chinelos, cantarolando uma velha canção de seu país. Seu nome era ジェネリック, último membro honrado da família グーグル翻訳. Na cintura levava a legendária espada 悪魔野郎, e na mão direta a moeda コンピュータ de seu pai, cortada no meio por um quadrado e circundada por símbolos ancestrais que não revelavam seu segredo.

Do outro lado daqueles campos ficava o país vizinho, 恐竜土地, o que para o viajante significava liberdade. Naquele país, 日本, sua cabeça estava a prêmio. Era perseguido por oficias e por caçadores de recompensa. Havia conquistado muitos inimigos durante seu trabalhos; trabalhos esses que lhe renderam uma boa quantia em dinheiro e também a fama como o maior hacker do continente 世界.

Seu olho esquerdo, nomeado 目, que levava protegido do sol pelo longo chapéu de palha, era completamente vermelho. Havia perdido o verdadeiro para um firewall ágil anos atrás. Contatos no mercado negro foram suficientes para implantar aquele substituto biônico e sempre que quisesse passar desapercebido, ao menos para um olhar casual, podia utilizar uma lente de contato que mimetizava seu olho muito bem. Suspeitava que aquele olho pertencia a 事 Co., a maior fabricante de entes biônicos daquele país, mas era difícil dizer, pois o serial havia sido raspado do chassi e os registros apagados do firmware. Seu pai costumava ser dono daquela companhia até ser traído por seu irmão e ter a empresa roubada completamente em uma manobra corporativa desonrosa. Ele, o viajante solitário, era a pessoa que deveria ter assumido a direção da companhia, mas seu tio, 邪悪な叔父, tentou matá-lo com um vírus remoto quando o viajante completou dezesseis anos.

Por algum tempo o viajante ジェネリック perambulou pelo mundo, aceitando trabalhos de invasão patrocinados pelos chefões do submundo de 日本. ジェネリック foi acusado de um crime que não cometeu; de ter matado sua amada 愛といったもの. 事 Co., comandada por seu tio, assassinou sua esposa e plantou evidências de que havia sido o viajante o assassino. Agora precisava fugir do país, exilar-se por algum tempo para poder planejar e preparar sua vingança. Cansado, ジェネリック parou para descansar. Sentou-se por algum tempo e abriu seu cantil, onde o chá ainda estava quente e fumegante. Era sempre bom molhar a garganta antes de um combate.

“Posso notar a presença de vocês”, murmurou o viajante. “Estou partindo, me deixem em paz. Não quero destruí-los sem necessidade.”

“P3NAL3 ID3NTIFI33”, disse uma voz maquinal e eletrônica vinda dos arredores.

“SOUVI3NS-TOI QU3 TU VAS MOURIR MAINT3NANT”, continuo uma segunda voz.

“AU R3VOIR”, despediu-se a terceira voz.

Três grandes robôs de guerra aterrissaram sobre a palha, fazendo toda a região tremer como se um terremoto tivesse acontecido. Cada robô tinha três vezes o tamanho do viajante, e nas frontes pesadas levavam 事 Co. escrito em vermelho contra o metal. Pareciam ser os três do mesmo modelo, um modelo pouco humanóide, mas munido de diferentes equipamentos. Um deles possuía reforços metálicos sobre as pernas; o outro longas garras de metal brilhante sobre as mãos; e o último um canhão de boca larga armados sobre as costas.

Repentinamente, um tanto sem jeito, o Narrador levanta-se do meio da relva com a cabeça coberta por chapéu onde diversos ramos de palha haviam sido presos. Ele limpa os óculos e explica que detalhes quanto a maneira como os robôs rastrearam o viajante e quem de fato os programou para matá-lo atrás da recompensa e também de onde eles vieram não serão explicados, juntamente com muitos outros detalhes pelo bem do ritmo da narrativa e para exaltar o sense of wonder que muitas vezes emerge desse tipo de omissão, além dos recursos puramente estéticos.

“QU’3ST-C3 QUI S3 PASS3?”, indagou o robô de garras, olhando para o Narrador, ativando seu localizador para qualquer frequência enquanto um scanner vermelho corria o pequeno homem de cima abaixo.

De óculos limpo, o Narrador agachou-se novamente na relva molhada e  seus poderes onipotentes apagaram sua aparição como se nunca houvesse acontecido. ジェネリック fechou seu cantil e o deixou sobre o chão. Estalou o pescoço duas vezes e deitou a mão sobre o cabo de sua espada.

“Hora de fazer um upgrade, explicou o viajante e desembainhou sua espada.

“AU R3VOIR”, repetiu o terceiro robô, para efeito dramático.

ジェネリック saltou no ar, mas o robô saltador possuía pernas mais fortes e interceptou o vôo do viajante no meio, acertando-o com uma joelhada, fazendo-o atingir o chão com velocidade, rolando por mais de vinte metros na relva. ジェネリック limpou o sangue da boca. Jogou a moeda コンピュータ para cima e a agarrou com a mão esquerda. Uma interface surgiu projetada em seu antebraço junto de um pequeno teclado. ジェネリック entrou diversos comandos no terminal e seus implantes no sistema nervoso liberaram toda a capacidade muscular de seu corpo e também a visão de alta velocidade de seu olho 目.

Novamente o robô saltou contra ジェネリック. Mas o viajante sumiu de sua visão tão rápido que seu sistema confundiu-se. Antes que pudesse se defender o saltador sentiu a espada 悪魔野郎 enterrar-se fundo em sua cabeça atirando faíscas para todo lado. Rapidamente o viajante aproveitou a inserção e utilizou os circuitos de sua espada com o terminal projetado em seu ante-braço para hackear o robô.

“NON! AID3Z-MOI!”, o robô gritou com sua voz eletrônica, mas não foi necessário, pois os outros dois robôs já rumavam contra o viajante.

Por um triz as garras do robô não acertaram ジェネリック que saltou para trás, deixando sua espada fincada no inimigo. Enquanto desviava dos muitos golpes velozes daquele ágil inimigo via afastado dele o robô-canhão preparando um tiro de energia 地獄の em sua direção. ジェネリック apressou-se. Digitou diversos comandos em seu braço e por fim apertou o último botão. De uma vez o saltador pulou na sua frente e o protegeu de um golpe da garra. ジェネリック saltou sobre o saltador e ambos desviaram no último instante de um tiro poderoso do canhão que acertou o robô das garras, atirando-o para trás em pedaços.

“QUOI?”, indagou a máquina assassina confusa.

Antes que pudesse reagir e a poeira assentar, uma sombra surgiu acima dele e sem poder se defender o viajante caiu sobre suas costas e com um golpe da espada cortou parte da cobertura e dos circuitos da arma. Em uma última tentativa de matá-lo o robô atirou a si próprio no chão, e por pouco não esmagou o alvo, que desviou no último instante.

“Au revoir”, falou o viajante antes de enterrar a espada no meio da testa do robô.

No horizonte, o sol se punha aos poucos, jogando para o alto longas tiras de céu laranja. ジェネリック, o viajante solitário, caminhou entra as máquinas destruídas até seu cantil e o prendeu novamente na cintura. Ajustou melhor seu chapéu e caminhou para longe dali.

O post >$.getヒップホップ apareceu primeiro em Mob Fiction.

Comente pelo Facebook

ARTIGOS SEMELHANTES