cabou-se-o-mundo

Mais um ano se vai, mas dessa vez não terá um novo a começar.

Acabou a piada de que no Brasil o ano só começa depois do carnaval, não teremos mais carnaval. Acabou o BBB, não que isso seja triste, mas e a diversão da internet fica aonde? Falando nela, acabou a internet, a menos que no paraíso tenha ou seja negociável. Aposto um dinheiro bom que teriam alguns (MUITOS!!) nerds que trocariam suas 30 virgens por uma internet banda larga de alta velocidade. Dinheiro, o motor que move o mundo capitalista. Mas quem vai querer apostar dinheiro num momento como esse? Se houver sobreviventes eles vão querer comida, roupas, armas, não dinheiro.

Queria deixar um abraço especial, antes desse mundo ruir, para você caro amigo que se preocupou mais com seu trabalho do que com o resto, para você que só sabe reclamar da vida, para todos aqueles que se preocupavam mais com o que o vizinho anda fazendo do que olhar o que acontece dentro da sua própria casa. Não vou dizer que fui uma pessoa que aproveitava os detalhes da vida e nem que nunca reclamei – até porque sou um velho de 25 anos -, mas conheço pessoas que SÓ reclamam, que SÓ se preocupam com trabalho e dinheiro e que SÓ sabe olhar para o lado e achar que a vida é injusta consigo mesmo.

Não vou me alongar muito, até porque pode ser que nem dê tempo de vocês lerem isso. Por falar em ler, agradeço a todos os nossos leitores, haters, stalkers e, em especial, ao Tavares, além de qualquer outra denominação que não me vem a mente agora, todos vocês proporcionaram momentos felizes, outros tristes e, alguns, épicos enquanto estive a frente desse antro de malucos chamado MOB GROUND. Aplausos e saudações a todos. Confesso que adoro isso e que só tenho a agradecer a toda essa turma de colaboradores e editores que, mesmo trabalhando em regime de escravidão, davam tudo de si para escrever nos prazos, além da nossa épica recepção aos novos colaboradores. Sem vocês a MOB nunca estaria onde está hoje. Pena. Sei que podíamos ir muito mais longe.

Um eu te amo especial para a Ivin, minha esposa, para minha família – que nem sei se lerão esse texto – e para o Pug, o único cachorro que recusou todos os nomes que tentei dar a ele e aceita ser chamado apenas de Pug, simples assim. Apesar de, as vezes, achar que ele é um gato trabalhando disfarçado de cachorro. Quem sabe, né?!

Abraços a todos os meus amigos, inclusive alguns que nunca tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, apenas via Twitter, Feice (vou chama-lo assim, foda-se…) ou blogs diversos.

Sinto pelas coisas erradas que fiz (algumas nem tanto assim…), mas sei que fiz diversas coisas muito boas também. E, sinceramente, espero que os Maias, Nostradamus e o Psy “Oppa Gangnam Style” estejam errados e que o mundo não acabe. Tenho muita coisa para fazer ainda…

louça suja

Comente pelo Facebook

Oi! Eu sou o Sayron! Não é Saimon, Taimon ou Sauron... Sou um eterno perseguido por Murphy! Viciado em games, fanático por RPG e assisto Futebol Americano de vez em quando. Gosto das bizarrices desse mundo chamado internet. Vivo com sono, sou reclamão, mas se é para fazer zuera, conte comigo!

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta