A coisa mais comum em filmes de serial killers é acompanharmos a rotina de alguma das vítimas, as investigações da polícia e um assassino que consegue manter sua vida dupla com extrema perfeição, sem levantar qualquer tipo de suspeita. Maníaco, dirigido por Franck Khalfoun, ignora os dois primeiros itens e foca totalmente na rotina do assassino Frank (Elijah Wood). Assim, o que temos é um filme que aborda um serial killer não como aquele assassino caricato que sempre tem tudo sob controle. Frank é uma pessoa com sérios problemas mentais e que possui bastante dificuldade em manter seus atos em segredo. Focado totalmente no personagem, Maníaco é um passeio por uma mente perturbada e que consegue nos colocar como uma espécie de cúmplice do assassino.

Filmado quase totalmente com uma câmera subjetiva que mostra as cenas pelo olhar de Frank, acompanhamos todo o processo dele até finalmente matar suas vítimas. O filme abre com o personagem dentro da sua van perseguindo uma mulher. Quando parece que ela vai conseguir ficar em segurança, Frank revela que sabe onde ela mora e, pela primeira vez, vemos o seu rosto no reflexo do retrovisor. E é impossível não levar um pequeno susto quando surge o olhar de Frank na tela. Elijah Wood, que já havia interpretado um serial killer em Sin City, parece ter um talento natural para esse tipo de papel. É impressionante o contraste entre o olhar vazio que ele apresenta nesta cena inicial com o olhar preocupado que ele demonstra mais à frente. Quando ele finalmente chega até a vítima, Frank não pensa duas vezes antes de matá-la. Com uma morte tão violenta logo nos primeiros minutos, a impressão é de que o filme será uma espécie de gore, mas ele consegue passar longe disso.

Conforme a produção avança, Maníaco acaba se mostrando um excelente estudo de personagem. A primeira coisa que chama a atenção é que ele mata suas vítimas com rapidez, não demonstrando interesse algum em vê-las sofrendo. Em algumas situações é possível perceber que, na verdade, ele possui uma necessidade de matar, porém não consegue ter prazer com a experiência. E como o personagem conversa bastante sozinho, surge a dúvida se ele possui dupla personalidade ou não. Claro que um assassino é um personagem desprezível, mas graças à atuação de Elijah Wood é possível que o espectador se apegue ao personagem. E grande parte dessa atuação está na entonação da voz do ator, já que o rosto dele só aparece em momentos muito específicos. Também é interessante notar que, sempre que Frank se olha no espelho, ele parece um pouco assustado com o que vê. É como se o personagem estivesse lutando muito para manter algo terrível sob controle.

Mesmo focando na mente do seu protagonista, Maníaco apresenta cenas que podem perturbar as pessoas mais sensíveis. Alguns assassinatos cometidos por Frank são bastante violentos, envolvendo inclusive escalpelamentos. Felizmente as mortes não estão ali apenas para chocar, mas servem também para mostrar como Frank não é o assassino perfeito que aparece na maioria dos filmes. Praticamente todas as mortes cometidas pelo protagonista acabam acontecendo de improviso e nunca o vemos limpando o local do crime. Assim, Maníaco apresenta um serial killer que não é infalível, muito pelo contrário, ele acaba deixando várias pistas espalhadas. Não é à toa que, ao longo do filme, o diretor Franck Khalfoun espalhe vários telejornais informando sobre mortes que vem ocorrendo na cidade. É através dessas pequenas inserções que o espectador consegue perceber se a polícia está ou não perto de capturar Frank.

Maníaco também é interessante na forma como explora a psique de seu protagonista quando, em alguns momentos, abandona a câmera em primeira pessoa e mostra Frank como um personagem comum na tela. Isso acontece em momentos de maior adrenalina e é quase como se o personagem saísse do próprio corpo e testemunhasse os assassinatos sendo cometidos por outra pessoa. Em seu terceiro ato, Maníaco ainda apresenta perseguições típicas de filmes de serial killer, com a diferença que não sabemos se torcemos para o assassino ou para suas vítimas. Afinal, depois de acompanharmos tudo pelos olhos de Frank, é impossível não se sentir cúmplice e, porque não, um pouco apegado ao personagem.

Maníaco / Maniac (França / EUA, 2012)

Duração: 1h 29min

Direção: Franck Khalfoun

Elenco: Elijah Wood, Nora Arnezeder, America Olivo

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Felipe Storino
Load More In Filmes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira também!

Thor: Ragnarok | Com visual colorido e bastante humor, diretor Taika Waititi nos brinda com um dos maiores acertos da Marvel Studios

Thor: Ragnarok começa com o personagem título acorrentado no covil do demônio Surtur (Clan…