Nine_Dead

Olá seus cheirosos e fofinhos!

Que os pais são dedicados aos filhos todo mundo sabe, eles trabalham feito escravos para que possam pagar nossa educação, comida, roupas e eventuais mimos. Sempre estão lá pra te ajudar quando a coisa fica feia e te amam incondicionalmente. Nossos pais morreriam por nós e certamente matariam para que ficássemos a salvo.

Será que matariam mesmo?

O instinto materno e paterno é uma coisa intensa, a partir do momento que saímos da barriga de nossas mães todos sujos, enrugados e gritando à plenos pulmões, viramos o joelho mais lindo da existência do universo. O filme de hoje fala um pouco disso e é claro, fala também do lado feio do ser humano. Ou você estava achando que eu resenharia um filme bonitinho?

nove mortes

Nove Mortes conta a história de nove estranhos que são capturados e presos por um assassino em série. A regra do jogo é bem simples, os reféns precisam descobrir porque estão lá e a cada 10 minutos, o assassino matará um deles.

Não precisa nem dizer que a comunicação é a peça chave para que a maior quantidade de pessoas viva. Mas é ai que mora o problema. Temos todos uma personalidade diferente e nem sempre o que agrada um, agrada o outro.

Dirigido por Chris Shadley, a película de 2010 explora bastante esse quesito. Conforme os personagens começam um diálogo recheado de um querer ser melhor que o outro e brigas de ego em geral, eles precisam lidar ao mesmo tempo com a pressão de morrerem a cada 10 minutos.

Eu achei essa idéia muito boa. A convivência humana pode ser uma coisa bem complicada, principalmente se você tem que interagir com uma pessoa que preferiria levar um soco a trocar qualquer palavra com você. Outro ponto que também foi bem sacado é que um dos reféns é uma moça chinesa que não entende uma vírgula da língua da terra do Tio Obama.

Cada personagem tem uma personalidade diferente, do pedófilo assanhado até o wannabe ator de hollywood que só é bonito. Essa mistura pode te fazer tanto amar, quanto odiar os diálogos e ações ao longo do filme.

E como estamos falando de seres humanos em situações extremas, vale lembrar que enquanto tem gente que preza pela união e conseguir salvar todo mundo, tem aqueles que não querem nem saber de altruísmo e dane-se o restante da galera. No entanto, cada ação tem uma reação.

Ao contrário da Tartaruga Ninja From Hell de The Collector e The Collection, em Nove Mortes nós descobrimos a origem do assassino e principalmente o que o levou a sequestrar essas nove pessoas. Eu assumo que apoiei fielmente o cara nessa epopeia toda, porque realmente foi muita filha da putice o que fizeram.

Outro ponto interessante, que fica melhor ainda pra quem é curioso, é que você também se encontra na sala dos reféns sem fazer a menor idéia do motivo pelo qual todo mundo está acorrentado lá. E não se surpreenda se você torcer pra um certo personagem morrer logo, porque eu também fiz isso.

Conforme os diálogos e mortes vão acontecendo, você vai encaixando as peças desse quebra cabeça e vai ser impossível não sentir empatia pelo assassino. Não digo isso porque eu na maioria das vezes faço isso, mas sim porque o motivo dele é muito bom, além de ser real. O que aconteceu com ele, infelizmente acontece na nossa realidade, o que te faz apoiar o cara mais ainda.

Eu não revelo spoilers como vocês bem sabem, mas preciso dizer que o final me deixou extremamente raivosa. Dá até pra entender o porquê de tudo ter acontecido, mas não justifica. A ambição é um parasita cruel e que pode consumir seu hospedeiro de uma forma tão intensa que não há nada que o pare, muito menos valores morais.

Lain Iwakura uma vez disse “Estamos todos conectados” o que, se você parar para pensar, não deixa de ser verdade ainda mais nos dias de hoje. Nove mortes expõem bem essa teoria. Apesar das idéias bem sacadas no roteiro e do desenvolvimento do filme ser bom na maioria das horas, ainda assim tive que lidar com algumas atuações sofridas e com um final que me fez arrancar cabelos.

Mais uma vez fica claro que o nosso pior inimigo não são zumbis, seres sobrenaturais ou forças da natureza e que o amor pode tanto ser sua glória, quanto sua ruína.

 

 Nine Dead (2010)

Duração: 98 minutos

Diretor: Chirs Shadley

Nota: 7

 

Comente pelo Facebook

Jornalista. Fã de gore, terror e todas as bizarrices da internet. O pessoal daqui diz que eu sou um Shinigami.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta