Os Perpétuos

Sonho materializou-se dentro do reino de Destino, seu irmão mais velho. Em um enorme salão, havia uma mesa de carvalho redonda, com sete cadeiras, onde estavam todos os Perpétuos, menos Destruição. Destino o saudou, sem deixar transparecer nenhum sentimento:

– Bem vindo, Sonho.

Desejo permaneceu calado(a), ainda com seu sorriso cínico. Desespero, baixa e gorda, estava, como sempre, nua. Seus negros cabelos sebosos amarrados no alto da cabeça e seus dentes pontiagudos, junto com sua pele pálida, lhe conferiam uma aparência assustadora. Ela olhou para seu recém chegado irmão e nada disse.Limitou-se a usar seu anel em forma de gancho para abrir um corte no braço, que começou a verter sangue. Morte estava trajada com um vestido de gala preto da mesma cor de seus cabelos, o que ressaltava a palidez de sua pele. Levava pendurada ao pescoço um ankh. Sorriu delicadamente para Sonho e disse:

– Olá maninho. Quanto tempo.

Delírio, com seu cabelo colorido metade comprido e metade curto, vestia uma jaqueta de couro vermelha, camiseta regata laranja, mini-saia preta e estava descalça. Sorriu com seus olhos (um azul e o outro verde) para seu irmão e desembestou a falar:

– jÁ fAlEi QuE gOsTo De VoCê, SoNhO? eU aChO qUe NãO fAlEi. MaS eU gOsTo SiM. pOrQuE aGoRa NãO mE aSsUsTo CoM vOcÊ cOmO mE aSsUsTaVa AnTes…

Assim que Sonho sentou-se, Destino deu início ao conclave:

– Caros irmãos e irmãs, perdoem-me por convocá-los tão repentinamente, mas suas presenças se fazem necessárias. Ocorreu…

– Já entendemos o que quis dizer. – interrompeu Desejo, com seu habitual desdém. – É óbvio que não iria convocar a Família à toa. Conte logo o que está havendo.

Morte interveio:

– Que tal deixar Destino falar?

Ele aguardou e então prosseguiu:

– Obrigado irmã. Como estava dizendo, consultei meu livro e vi que algo de grande repercussão está preste a ocorrer. E como prelúdio de tudo isto, uma nova estátua apareceu no meu jardim.

Todos ficaram estáticos, sem saber o que fazer ou falar. Delírio foi a primeira a se recuperar:

– lEgAl! Um NoVo IrMãOzInHo! Eu AdOrO iSsO, aDoRo MeSmO! vOu FaZeR uM pIu-PiU cOr De ArCo-ÍrIs PaRa ElE e ElE vAi FiCaR mEu AmIgUiNhO!

deliri

Sonho se pronunciou:

– Creio que a situação não é tão simples.

Em silêncio, todos concordaram.

Subitamente, Desejo levantou-se e começou a andar pelo salão, enquanto falava:

– Mas é óbvio que não. O novo membro da Família deve estar por aí, perdido no Plano Material. Provavelmente também não sabe o que ou quem ele é exatamente. Nem qual poder possui. Acho que irei procurá-lo e dar-lhe boas vindas.

Irritado, Sonho se levantou e disse, enfático:

– Dos seis, você é o menos indicado para isso.

Desejo, desafiante, retrucou:

– Sério? Ora, meu caro Sonho, isso é realmente uma pena! Já que não quer que eu faça isso, tente me impedir, se for capaz!

Os dois se encararam por alguns segundos que pareceram uma eternidade. Então Desejo, com seu sorriso ainda sorrindo, abriu um portal e saiu do salão. Sonho, já irritado, voltou-se a seus irmãos:

– Precisamos fazer algo. Não podemos deixar Desejo encontrar… como é mesmo o nome de nosso irmão?

Destino respondeu:

– Não me foi revelado ainda. Só sei sobre sua aparência.

Morte, que até agora disfarçava o tédio brincando com o seu ankh, teve um estalo:

– É isso! Vamos ver a estátua!

Os cinco Perpétuos partiram para o Jardim do Destino.

************************

Fabiana e sua nova amiga de quarto andavam pelas ruas do centro da cidade, ainda molhadas pela recente chuva. Meio sem jeito, a garota perguntou:

– Hã… Já decidiu o que vai fazer da vida?

– Não… – respondeu a mulher. – Essa volta que você sugeriu para esfriar a cabeça não está ajudando muito…

Fabiana suspirou, desanimada:

– Já recuperou a memória?

– Ainda não. Mas lembrei de uma coisa que acho que pode nos ajudar.

Fabiana sorriu, empolgada:

– Sério? O quê?

– Bem, eu tenho irmãos.

– Legal! São quantos? São mais velhos? Mais novos?

Então foi a mulher quem suspirou:

– Não sei…

Fabiana ficou cabisbaixa novamente:

– Não ajuda muito.

As duas ficaram mais um tempo andando, caladas. Então a garota voltou a se empolgar:

– Por que não pensei nisso antes?

– Nisso o quê?

– Ir na delegacia! Lá eles têm fichas, registros, essas coisas, de todo mundo! Com certeza vão descobrir quem é você!

A mulher não partilhava da empolgação de Fabiana e tentava avaliar o que foi dito:

– Pode ser…

Mas a garota permanecia animada:

– De qualquer maneira, agora é tarde. Vamos descansar e amanhã de manhã saberemos quem você é!

rua

Comente pelo Facebook

É um cara que já trabalhou (e trabalha) em muitas coisas e nas poucas horas que tem dá uma de escritor/poeta/jornalista/roteirista. Quando tem vontade atualiza seu blog, o “O Protagonista 2.0”. Foi colaborador do blog Cultura Nerd e atualmente escreve para os blogs sites Novelas Teen, Contraversão e Revista Entremundos. Pode ser encontrado a noite cambaleando bêbado pelas ruas de São Paulo ou falando seu nome três vezes em frente a espelhos em botecos suspeitos da Augusta e da Mooca. Uma mistura de Spider Jerusalem e John Constantine, ou não.