capa_alice
Esta capa representa a carta “Oito de Espadas” cuja ilustração é de uma mulher (em alguns casos retratada seminua) amarrada e vendada, circulada por oito espadas.

Releituras de grandes clássicos, dependendo da mídia na qual são produzidas, costumam ser uma faca de dois gumes: no cinema, por exemplo, com frequência vemos versões renovadas de filmes antigos aclamados pela crítica e pelo público com uma qualidade aquém do esperado. A mesma coisa ocorre com tentativas de reinterpretar clássicos musicais ou de trazer de volta clássicos de videogames, o que podem resultar em uma versão menos inspirada ou divertida que a original.

Mas parece que com literatura é, ao menos, um pouco diferente: volta e meia nos deparamos com ideias interessantes quando o assunto é recontar clássicos literários de um jeito diferente. Orgulho e Preconceito, bem como sua versão putrefata Orgulho e Preconceito e Zumbis, são apenas alguns dos bons exemplos disso.

Escritores e quadrinistas independentes também costumam se arriscar nesse campo criativo, geralmente dando asas à imaginação de si mesmos e de seus leitores com narrativas bem interessantes. É o caso de Alice in Badland, HQ que reconta a obra de Lewis Carroll de um jeito bem diferente do comum.

A AVEC Editora nos agraciou com o primeiro volume desta história em quadrinhos. Quando li uma sinopse da mesma antes de começar a leitura e conheci sua premissa, logo me lembrei de uma outra releitura: o antigo jogo para computadores American McGee’s Alice – e sua recente continuação Alice: Madness Returns. Ambos retratam o País das Maravilhas de uma forma bem tenebrosa, ainda que cartunesca.

Mas esta obra em quadrinhos de Tamie Gadelha e Alice Viana traz uma versão muito mais visceral desse clássico conto, no qual uma já crescida e adulta Alice, leva uma vida normal com sua família e amigos e que tem como sua única lembrança de suas aventuras no País das Maravilhas, um antigo relógio de bolso quebrado que ela guardou consigo durante seus anos.

Capítulo-1-Oito-de-Espadas-13

Um dia, ao se aproximar de um espelho em seu ateliê, Alice é surpreendida por uma entidade misteriosa que deseja matá-la. A entidade arrasta Alice para dentro do espelho e novamente ela se vê em meio a um País das Maravilhas imerso em uma profunda decadência, provocada pela derrubada da monarquia estabelecida pelo governo da Rainha de Copas (cuja cabeça fora cortada, lembram?). Enquanto isso, no mundo real, um detetive amigo de Alice é obrigado a sair de seu incomum dia de folga para investigar estranhos acontecimentos. Relacionados ao mundo de dentro do misterioso espelho, talvez?

Devo dizer que essa nova abordagem me deixou bem curioso pra acompanhar seu desenrolar: essa nova versão do universo de Lewis Carroll me parece bem interessante, a arte em preto e branco é bem bonita e passa bem a atmosfera densa da narrativa e os poucos personagens novos que foram introduzidos neste primeiro número da HQ, além de alguns velhos conhecidos, me cativaram: quem será a entidade que sequestrou Alice e que tanto a odeia? O que exatamente fez com que objetos se fundissem às paredes em uma cena do crime investigada pelo amigo de Alice? E para onde irá o Coelho Branco após ignorar as advertências do Gato de Cheshire?

Felizmente as respostas para essas perguntas – ou talvez ainda mais perguntas – virão muito em breve, já que as autoras já estão prestes a lançar o segundo volume deste conto (inclusive elas até já postaram algumas artes como prévia em sua fanpage no Facebook).

Mas enquanto elas não lançam o volume 02, recomendo que experimente o princípio desta envolvente trama, especialmente se você curte quadrinhos e deseja algo bem diferente e cativante.

Alice-in-Badland-1-Oito-de-Espadas-Capa-212x300Alice in Badland 1

Autores: Alice Viana e Tamie Gadelha

Ilustrações: Tamie Gadelha

Editora: AVEC Editora

Preço Kindle: R$ 2,50

COMPRE AQUI: Amazon

Comente pelo Facebook

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta