O PROGRAMA

RuPaul’s Drag Race é um reality show onde Drag Queens competem pelo título de America’s Next Drag Superstar, passando pelos mais diversos desafios que envolvem desde canto, atuação e trabalho em equipe aos mais técnicos e fashions, de corte e costura. Cada episódio é composto por um mini-desafio, o desafio principal (encenar uma peça, fazer uma esquete, gravar um comercial etc) e por um desfile final (quase sempre temático). O painel de jurados julgam as participantes e as duas piores vão para o “bottom”, tendo que dublar pela sua vida. A que melhor perfomar continua e a pior, ganha um sashay away. O reality estreou em 2009 como uma produção mais independente e agora em 2017 vai para sua 9ª temporada, liderada desde o início pela maior drag americana e multi-talentosa, a própria RuPaul, que atua como mentora, inspiração, principal jurada e apresentadora. Desde então foi se tornando mais popular a cada ano e hoje pode ser considerada um fenômeno, com uma ENORME fanbase brasileira (que vem trazendo as drags que já passaram pelo programa pra fazer shows por aqui), milhares de bordões e memes, diversos prêmios e indicações (incluindo um Emmy para RuPaul), spin-offs e CDs lançados, e o mais importante: alavancou a carreira de diversas artistas e trouxe de volta toda a cultura Drag, não só para o público LGBT, mas para todo o mundo, levantando questões como identidade, gênero, confiança, aceitação, amor e respeito. E muito babado e confusão, também.

A nona temporada de Drag Race estreia em março e já temos um trailer (acima) apresentando as 13 novas Drags a competir pelo título e por $100,000! Além de videos com uma pequena entrevista com cada uma delas (que foi compilado e legendado por fãs aqui), pra conhecermos melhor e já ir torcendo por alguma, e a confirmação de Lady Gaga como uma das juradas especiais! Como Drag Race é praticamente uma religião e já passaram 100+ rainhas pelo programa, é impossível que a essa altura do campeonato não haja comparações. Muitas das competidoras recentes, inclusive, cresceram e se tornaram drag por conta do programa! Então pra aquecer preparamos esse Meet The Queens especial feat. geek pra já entrar no clima, comentando o visual, quem lembra, o que podemos esperar + um TOOT (quando é bom) ou BOOT (quando deu ruim) delas. Ah, se você nunca viu, corra pro Netflix que lá tem as Temporadas 2-7 completas!

MEET THE QUEENS

Vamos começar pela anfitriã do programa? RuPaul mostra que é a padroeira das Drags e que continua atual e relevante num look inspirado no episódio Book Ball da 8ª temporada, onde as queens tinham que criar um vestido a partir de livros. Claro que Ru pegou o melhor do desafio (Chi Chi e Naomi), colocou um toque de origami e não se esqueceu dos 20 anos de Pokemon, com um busto trabalhado em Zapdos versão Red/ Blue. TOOT!


AJA, 22

Aja é uma drag do Brooklyn que diz ter vindo pro show só pela diversão. Não é competitiva, mas vai trabalhar com a verdade, doa a quem doer! Ela tirou seu nome de algum filme de Bollywood e tem aquele ar flasedá da Pearl, um pouco de gueto e, como ela mesma diz, é uma versão prostituta da Judy Jetson. Seu look foi shipado da Kim Chi e, COINCIDENTEMENTE, se parece muito com uma das personagens de Jem e as Hologramas: Aja Leith. Pelo apelo jovem, ela deve permanecer pelo menos até metade do programa. Ou não, se dormir no ponto. TOOT.

 


ALEXIS MICHELLE, 33

Alexis é uma queen mais classuda que sabe dublar, atuar e cantar. Looks sempre no ponto certo, com muito glamour, curvas, feminilidade mas, claro, sem deixar seu lado mais sassy de lado. E muito, muito carão! Provavelmente fará o papel de mãezona do rolê, dando dicas e sendo consistente durante o programa. Esse vestido amarelo estilo Glinda do Mágico de Oz é incrível! Os ombros, com detalhes em neon e laminados, são demais! Como ela mesma coloca, sua maior competidora é… ela mesma. É quase uma fusão de Shannel com Roxxxy Andrews. TOOT!

 


CHARLIE HIDES, 52

Charlie Hides é uma rainha britânica conhecida por seu canal no Youtube, onde faz ótimas esquetes imitando Madonna, Lady Gaga, Cher e outras divas. O hype, então, está lá em cima! Porém… não me empolguei tanto com o seu Meet. Ela ficou muito em cima do “sou a competidora mais velha” e esqueceu de se colocar mais. Modéstia ou imposição do show? Impossível não associá-la com a Chad Michaels, que é conhecida tanto pela idade quanto por fazer a Cher, então fica a expectativa pelo seu Snatch Game (desafio de imitação). Seu look é uma versão neon da Mulher-Gato da Julie Newmar, com direito a unhas de garota e máscara espiral. Fabulosa. TOOT!

 


EUREKA, 25

Eureka O’Hara (sim, a produção limou o sobrenome. Phi Phi?) faz a linha comediante, cheia de energia e alto astral. Promete arrasar nas performances, já que é professora de dança, e inovar no que se esperam de drags gordinhas. A última temporada não teve uma plus-size e até hoje apenas uma foi para o TOP 3 (Ginger Minj). Então a expectativa é alta pra cima da Eureka! Ela optou por um visual todo vermelho e um topete, deixando uma testa enorme que nos faz lembrar da incrível Divine, mas que não me empolgou tanto, lembrando a silhueta da Penny Tration. BOOT.

 


FARRAH MOAN, 23

Com o nome inspirado na eterna Pantera Farrah Fawcett, Farrah Moan é a menininha dos olhos que bebe muito do glamour hollywoodiano, plumas, paetês, high fashion e fetiches. Super feminina, promete trazer tudo isso ao runway, com muita confiança. Só esqueceu de trazer pra esse visual, que ficou um látex bem simples e shipado de alguma Sailor Moon. Um dos problemas, à essa altura do campeonato, é que comparações vão surgir. Farrah é a cara da Courtney Act, mas sem o carisma (o que é difícil). Seu nome até lembra um trocadilho como o dela (Pheromone), que acabaram nem comentando no video. BOOT.

 


JAYMES MANSFIELD, 26

Jaymes já deixa claro que não joga pra perder e que não tem medo de lançar um #shade pra cima das outras drags. Mantendo a linha bonequinha de luxo, jeito infantil e voz chata, mas com toques de glamour e de comédia. Teremos uma Mimi Imfurst fashion? Sua escolha pra apresentação foi um corset estilo showgirl, todo azul e com muito volume pra não deixá-la grande, mas com detalhes de dona de casa, pra não ficar tão distante das princesas Disney. Uma escolha safe. E ela tem nome de comediante do SNL, só vamos esperar que jogue bem com os shades, pois sabemos que quem não joga o público devora. TOOT.

 

KIMORA BLAC, 28

Kimora Blac é super confiante e acredita que o mundo a ama: os héteros, as gays, as drags. Everybody. Tanto dentro quanto fora da personagem, pois até ela se pegaria. Seu jeito lembra um pouco a Gia Gunn ou a Raven com um toque da Monet St. Croix dos X-Men, com um humor mais ácido e o visual sempre consistente. Provavelmente não deixará as inimigas dormirem. Só que fora ela se admirar e dizer ser uma Barbie, não ficamos sabendo muito da Kimora. O carisma não fluiu muito aqui. Nem a humildade. O visual foi inspirado no Marco Marco, mas é meio algo genérico que já vimos antes. BOOT.


NINA BO’NINA BROW, 34

Nina é uma queen nerd, fora dos padrões, não gosta de ser taxada, experimental e vai te entregar não só o lado freak, mas também muito glamour, fish e sexy. Já adoramos? Ela se inspirou numa personagem alien de algum jogo, faz cosplay incríveis (não só de personagens, mas também de celebridades) e uma maquiagem fenomenal. Fica a expectativa de como vai funcionar no programa. Poucas drags com um estilo tão diferenciado passaram pelo show, destacando Nina Flowers e Acid Betty, já colocando Nina Bo’Nina um patamar acima, que também pode preencher a lacuna (fiasco) que Dax ExclamationPoint deixou. Sem contar que Nina parece ter vindo diretamente da HQ Rogan Gosh do Peter Milligan. TOOT!

 


PEPPERMINT, 37

Durante as 8 temporadas de Drag Race já tivemos algumas participantes trans (assim como polêmicas a respeito), mas Peppermint é a primeira a se posicionar como mulher trans antes de começar a temporada. Com um visual inspirado na própria RuPaul, ela optou por um look estilo Endora d’A Feiticeira, arrasa na voz e já podemos esperar por ótimas performances, no caminho das lendárias Kennedy Davenport e DiDa Ritz. No vídeo ela se comportou mais, mas na internet ela é conhecida por participar de esquetes e paródias, junto da também drag comediante Sherry Vine. O vestido e quase dois lençóis no ventilador, mas parece uma competidora feroz. TOOT.

 


SASHA VELOUR, 29

Na última temporada tivemos algumas drags que retomaram a cultura dos Club Kids, mais colorido, vibrante, exagerado e cheio de referências, como Thorgy Thor e Acid Betty. Desta vez temos Sasha Velour, que segue o mesmo caminho num visual extravagante, fashion e com rosto cartunizado. Pelo vídeo ela demonstra ser bastante inteligente e dona das referências. Fica a expectativa! Seu visual mistura um arlequim, sorrisão de Coringa, acessório Teletubbie e muito, muito, rosa/ vermelho. Um dos destaques, no quesito visual. Já viram ReBoot? Uma animação que surgiu naquele boom das animações em 3D tosco? Sasha parece a vilã Hexadecimal, seu rosto é como uma máscara pronta pra ser trocada por outra a qualquer hora. TOOT!

 


SHEA COULEÉ, 27

Shea Couleé é um combo de várias coisas boas. Primeiro que já chega num visual Rainha Africana, com um elmo incrível, lembrando a Rainha da primeira temporada: Bebe Zahara Benet Cameroon. Algo legal dessa temporada é que muitas queens vieram com headpieces interessantes, o que me lembra de uma das participantes mais subestimadas a passar pelo programa: Lashauwn Beyond. Espero que Shea traga esse tom Broadway, África e boas produções, que nunca mais teve (com afinco) desde Bebe. Pelo vídeo ela falou que faz tudo: desce, sobe, empina, rebola e derruba forninhos. Mas não tão convencida e low-energy quanto Kimora Lee Blac. Esperamos que não faça a Laganja. TOOT!

 


TRINITY TAYLOR, 31

Das 13, Trinity foi a que menos se destacou. Ela fez a linha simpática no video, mas em relação ao visual trouxe um mix de coisas meio duvidoso. Muito azul, muito cabelo, muito peito, muito colar. Ali no pescoço quase não dá pra distinguir bem o que está acontecendo. Mas sua silhueta é ótima. Da tradição de peitos de silicone, temos as ótimas Alexis Mateo  e India Ferrah, mas é algo visto como “antiquado” no meio da competição, com drags que não foram muito pra frente, como a Alisa Summers. Mas ela vem dos Concursos de Miss, demonstrou um pouco de humor e quer vencer. Então vamos ver no que vai dar. Por enquanto, ficou meio Sindel com roupa alternativa. BOOT.

 


VALENTINA, 25

Nessa altura do campeonato já dá pra ter uma ideia de como se dar bem com o programa. Alaska provou ter o melhor marketing quando passou pelo All Stars 2: mal saía o episódio e ela já tinha um clipe, uma sátira, música, comercial, meme pra postar nas redes sociais e seguir o hype. E Valentina, sem querer querendo, já começou super bem ao falar em português e mandar um BEIJO FORTE pras migas do Brasil numa entrevista com a Michelle Visage (jurada fixa). Já é amada por mais de 130 milhões de brasileiros. Ela faz a linha boa moça e tem fortes chances de ganhar o título de Miss Simpatia. Visual Hera Venenosa meiga, cabelão B’52s feat. As Panteras, numa ótima pegada Barbarella 70’s mexicana. TOOT!


RuPaul’s Drag Race Season 9 estreia em março, ainda sem data oficial, mas já estamos vibrando com cada notícia.. Ainda não lançarem o trailer pra nos prepararmos, mas já queremos muito shade, edição sensacionalista, drags de patins, eliminação dupla, romance, confusão, desafio na loja de R$1,99, entradas triunfais e um primeiro photoshoot tão dreckallah quanto a tempestade entorta cílio da Temporada 2. Já estamos assim:

E eu nem sabia que Lil Kim e Lauryn Hill estavam no episódio! Vídeos legendados pela página All RuPaul e, se tudo der certo, teremos recaps!

Comente pelo Facebook

Estudante de Artes, consumidor compulsivo de HQs, amante da psicodelia, sonhos, nonsense, teorias da conspiração e colagens. Um mutante.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta