Com o fim da juventude vem a incerteza do futuro.

Fitas independentes sobre jovens enfrentando adversidades ou tentando se encontrar neste caótico mundo novo existem aos montes. Mas é inegável que o tom cativante alcançado pelo diretor James Ponsoldt faz de The Spectacular Now uma obra singular.

O roteiro, redigido a quatro mãos pela dupla Scott Neustadter e Michael H. Weber (responsáveis pelo ótimo (500) Dias Com Ela), é uma adaptação do livro homônimo de Tim Tharp, e também se revela um sopro de ar fresco para o gênero.

A história investiga com profundidade a vida e personalidade de Sutter, rapaz de 18 anos que passa por um importante momento de transição: o fim da juventude. E propondo a discussão de um tema tão comum, o que surpreende no filme é sua total falta de obviedade, e consequentemente a riqueza de argumentos sobre situações específicas, que proporcionam reflexão.

Primeiramente, em The Spectacular Now os grupos de jovens não são retratados de maneira estereotipada. Os populares não são mesquinhos insuportáveis e os excluídos não são geeks incomunicáveis. A espontaneidade do humor ofertado faz com que a transição para o drama seja orgânica e tremendamente palatável. Apesar dos personagens viverem em um estado lúdico e juvenil, o clima do longa é realista, principalmente quando são expostos os problemas de cada um, todos críveis e próximos de boa parte da audiência.

Um dos motivo deste resultado positivo é a química perfeita do elenco, formado por jovens estrelas. O novato Miles Teller surpreende como o protagonista da fita. Seu Sutter é um sujeito complexo, extremamente carismático e articulado, mas seu bom humor excessivo beira o desespero. Longe da superfície ele é outra pessoa. Além dos problemas de relacionamento com a mãe, o cara se mantêm constantemente embriagado, o que não deixa de ser um reflexo do abandono do pai.

Sutter vive desesperadamente o agora, sua preciosa juventude, acreditando que isso é tudo que lhe resta. O futuro soa como uma sentença, por isso ele não tenta se iludir, buscando não alcançar (ou merecer) nada além do que já tem. Ele se diz satisfeito com sua vida, e talvez até seja neste “agora” do qual o título fala. Mas o problema é que nada se mantém como sonhamos. O agora tem de mudar, por mais espetacular que ele possa parecer.

Junto a Sutter, servindo como um norte de possibilidades mais verdadeiras, temos Aimee, interpretada por Shailene Woodley (Os Descendentes). Aimee é uma garota irresistivelmente encantadora, que curte ler mangás e sonhar com estes personagens. O relacionamento do casal é abordado com inovação. O desenvolvimento por trás da afeição que os une é muito bem amarrado. Uma composição criativa.

Aimee também se apresenta como um quebra-cabeça. Apesar de aparentemente submissa à relação (talvez devido ao fascínio de infância que possui por Sutter), ela nunca parece incapaz de discernir entre o certo, errado e o meio termo de tudo. É um papel complicado, que exige muita personalidade, e Woodley se saiu muitíssimo bem.

No final, The Spectacular Now é um filme altamente prazeroso de se ver. Nele temos humor e melancolia andando de mãos dadas, uma mistura perfeita de gêneros e ideias. O diretor James Ponsoldt, que volta pra temas que lhe são particulares (antes disso ele conduziu o ótimo Smashed: De Volta a Realidade), aqui acerta em suas escolhas técnicas e realiza um trabalho honesto, que valoriza acima de tudo as interpretações do elenco.

Este é um longa mais que recomendado, é obrigatório.

Diretor James Ponsoldt e os atores Shailene Woodley, Miles Teller e Brie Larson
The Spectacular Now (EUA/ 2013)
Duração: 91 min
Direção: James Ponsoldt
Elenco: Miles Teller, Shailene Woodley, Brie Larson, Masm Holden, Dayo Okeniyi, Kyle Chandler, Jennifer Jason Leigh, Bob Odenkirk, Mary Elizabeth Winstead.
setas
Mais críticas como essa você encontra no Crítica Daquele Filme

Comente pelo Facebook

Jornalista guerrilheiro, entusiasta de games ligeiramente sangrentos. Já teve banda de Heavy Metal, hoje toca Beatles no violão. Ama a sétima arte de forma visceral, prefere dramas reais - pois acha que a vida em certos momentos é incrível demais para ser verdade. Já escreveu sobre cinema, música e jogos em alguns lugares, hoje é editor do site Crítica Daquele Filme... e precisa fazer mais exercícios.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta