Olá meus chuchus lindos e maravilhosos!

Primeiramente eu gostaria de agradecer a todos que de alguma maneira acabaram lendo meu texto do Slenderman, vocês são uns queridos e por causa disso ele foi um dos posts mais lidos de agosto. Muito obrigada seus delícias!

Agora vamos aos negócios.

Se vocês acompanharam meus últimos posts sobre filmes, viram que a coisa não anda muito boa na indústria do terror. Mas dessa vez eu trago boas notícias, sim eu consegui achar um filme do gênero que presta! Gente, nem acredito.

Assumo que negligenciei a película a ser destrinchada e me arrependo de tê-lo feito, mas agora tudo mudou e eu realmente espero que vocês gostem do filme do mesmo jeito que eu gostei.

The Loved Ones” conta a história de Brent, um estudante do último ano do colégio que acaba se envolvendo num acidente de carro e matando seu pai. Por causa disso o menino precisa lidar com o remorso, culpa e o destruído estado emocional de sua mãe.

O garoto então entra numa válvula de escape cercada de maconha e heavy metal para conseguir se afastar do que fez e a única ponta de esperança nessa sua nova realidade é através de Holly, sua namorada.

Antes que vocês lotem os comentários da página com indagações como “Nossa Bia, VOCÊ VENDO FILMES ROMÂNTICOS?!” calma. The Loved Ones NÃO é um drama romântico adolescente e logo mais eu explico tudinho.

O filme se passa na noite do baile de formatura. Para quem não sabe esse evento é muito importante tanto por simbolizar o fim do ensino médio quanto pelo fator social. Na cultura adolescente americana, principalmente entre as meninas, essa noite é o ‘All in” de suas vidas.

Todas querem ser coroadas como rainha do baile, querem ter como par aquele garoto que sempre foram apaixonadas, querem perder a virgindade ou que simplesmente seja uma noite que feche com chave de ouro os três anos de ensino médio e os prepare para o começo da vida na faculdade. Brent também queria que sua noite fosse especial. Coitado.

Lola é considerada uma das meninas estranhas da escola, e, tomando coragem, convida Brent para ser seu par no dia do baile. O garoto recusa alegando que irá com sua namorada. O mundo da garota desaba aos seus pés, e, se The Loved Ones fosse um drama adolescente, veríamos muitas sequências de choro e fotos sendo rasgadas. Mas como eu havia avisado previamente, esse filme passa longe dos blockbusters.

A garota, uma vez rejeitada, não se deixa consumir pela mágoa e tristeza de ter seu convite recusado. Então resolve tomar as devidas providências para que a sua noite de formatura seja inesquecível. Resumindo, Brent deu a resposta errada para a pessoa errada.

O gênero “Tortura” nos filmes de terror é bem batido, existem milhares de exemplos que posso dar, como a cine série “Jogos Mortais”, ou até mesmo “O colecionador de corpos”. No entanto, The Loved Ones faz diferente. Sim, há a tortura, sim tem sangue e sim você vai ficar com agonia assistindo. Porém os roteiristas não precisaram usar e abusar do gore para que o resultado fosse bom. Há muito terror psicológico envolvido no cativeiro e na minha opinião, assustar uma pessoa mentalmente é muito pior do que fisicamente.

Preciso congratular Robin McLeavy por sua atuação como Lola. À pedido do diretor, Sean Byrne, a garota teve que assistir a filmes como “Louca obsessão”, “Natural Born Killers”, os trabalhos de Quentin Tarantino e a pesquisar sobre a vida de um serial killer e canibal/necrófilo muito famoso nos Estados Unidos, Jeffrey Dahmer. Tudo só para interpretar “Princess”, a antagonista.

A vilã da história é mimada, egoísta, completamente louca e sonha em encontrar seu príncipe encantado. Isso tudo fica pior com a ajuda de seu pai, que faz de tudo para que sua filha fique feliz. Tudo mesmo. Sim, é comum vermos mulheres em filmes de terror com essas características, mas Robin fez sua lição de casa e você consegue ver as influências da enfermeira Wilkes na garota. Deu originalidade ao papel de “Mulher tresloucada” que poucas pessoas conseguem.

Uma coisa interessante sobre o filme é a música tema da antagonista, com a interpretação certa, você consegue notar que ela tem tudo a ver com a menina. Principalmente o fato de não conseguir o que quer.



The Loved Ones pode ter um tema clichê já que filmes de terror relacionados à noite de formatura existem aos baldes, só que essa produção australiana conseguiu me cativar com suas guinadas de roteiro e eu me peguei torcendo pro protagonista viver. E isso é raro, uma vez que 99% dos mocinhos são uns retardados, principalmente se forem mulheres. Não estou sendo machista, é a verdade.

O roteiro é bom, mas tem um defeito. Não vou revelar pois é de minha política não dar spoilers. Mas achei desnecessário inserir algo do tipo nos 45 minutos do segundo tempo. O bom é que pelo menos conseguiram dar um uso decente pro artifício diferente de muito filme por ai.

The Loved Ones mostra que é possível fazer terror sem o uso abundante de sangue e cenas de torturas explícitas. Mostra que com um argumento simples e bom desenvolvimento, você consegue produzir um filme que te cative. E lembre-se, se te convidarem para o baile de formatura, é melhor aceitar.

Título: The Loved Ones

Duração: 84 min

Diretor: Sean Byrne

Nota: 9

Comente pelo Facebook

Jornalista. Fã de gore, terror e todas as bizarrices da internet. O pessoal daqui diz que eu sou um Shinigami.

2 COMENTÁRIOS

  1. Quando assisti a primeira vez Loved One, fiquei realmente incomodado e impressionado.
    Não é um filme que segue a cartilha usual dos filmes de terror.
    Tem interpretações memoráveis, e dificilmente vocês irão esquecer Lola.
    História bem construída, com viradas inesperadas e um clima que incomoda muito.
    Filmão mesmo.
    E Beatriz, podia voltar a falar um pouco mais do Slenderman.

Deixe uma resposta