Nosso aniversário, sendo capa de revistas consagradas pelo mundo!

Mob_1-ano

Muita gente ainda acha estranho quando digo que escrevo para um site sem ganhar um centavo sequer. Porque, ao contrário do que reza a lenda, somos todos pobres aqui na MOB, menos o Sayron que é milionário (Nota do editor: Se eu fosse milionário pagaria salários a vocês…) (Nota do outro editor: Ele é milionário, não acreditem nisso!) .

Enfim, é difícil pro povo entender que você trabalha sem ganhar nada em troca. Sim, amigos, manter a MOB não é só festa, dá um certo trabalho. Além de escrever os textos (e muitas vezes o assunto só surge nos 45 do segundo tempo), são textos para revisar, formatar e imagens para diagramar. Mas, caras, escrever pra Mob Ground é extremamente divertido, não é à toa que estamos nessa aí há um ano já.

Um ano de zueras e textos malucos, tratando de assuntos como magia e uso de substâncias alucinógenas. Nesse tempo cobrimos até alguns eventos e em alguns nós realmente fomos, em outros nem passamos perto. Mas o importante era fazer a cobertura. Acima de tudo, a MOB é formada por um grupo de pessoas que gostam de escrever de maneira divertida, sem preocupações em seguir um certo padrão para que se possa alcançar sucesso rapidamente. Claro que nosso objetivo, como o de qualquer pessoa, é ficar milionário fazendo o que gostamos, mas pelo menos nesse um ano não tivemos que abrir mão de nenhuma das nossas convicções.

Enquanto muitos sites tentam padronizar a opinião da equipe, criando uma espécie de “opinião do site”, nós da MOB muitas vezes comentamos nos posts uns dos outros quando não concordamos com o que foi escrito. E se cada integrante da equipe tiver uma opinião diferente sobre um filme, por exemplo, é capaz da gente publicar uns 10 textos mostrando cada ponto de vista. Se algum desses malucos que integram a Mob Ground quiser escrever uma resenha em forma de poesia, vai poder escrever assim. Enfim, difícil não gostar de fazer parte de um projeto desses.

Mas o melhor de tudo pra mim nesse um ano de vida da MOB (e nos outros anos no Nerds Somos Nozes) foi conhecer a galera que escreve aqui. Graças à Mob Ground conheci esses redatores que, apesar de malucos, são tudo gente finíssima e, acima de tudo, talentosa. Como um dos editores, uma das minhas responsabilidades é revisar os textos (sem mexer no estilo de cada um obviamente) e a grande maioria deles eu nem considero como trabalho, me divirto muito lendo tudo. Quando aparece algum mais chato eu simplesmente deixo pro Chaves revisar e pronto, afinal ele também é um mala sem alça.

Enfim, neste nosso aniversário de um ano acho que o mais importante é agradecer a todos os colaboradores que escrevem textos muito bacanas por puro prazer, sem ganhar nada mais que um “obrigado” em troca. Agradecer também ao pilantra do Filipe Siqueira que deu início a isso tudo e por finalmente ter terminado a série sobre magia (aliás, esse safado levou quase um ano pra completar essa série heim) (Nota do Editor: Ele AINDA não terminou a série, segundo informações vai até a parte 10!!). E os camaradas Sayron e Chaves por revisarem os textos que eu mando em cima da hora (LOL). Valeu também aos leitores que, em sua maioria, fazem comentários inteligentes, e os leitores que nos xingam ou fazem perguntas malucas.

Fiquem aí com os meus cinco textos preferidos e não esqueçam de participar da nossa promoção de aniversário.

  • “173.611 chorumadas por minuto”

http://mobground.net/173-611-chorumadas-por-minuto/

  • “Foo Fighters no Lollapalooza Brasil” (Texto meu e tô nem aê)

http://mobground.net/foo-fighters-no-lollapalooza-brasil/

  • “Pagando por sexo e As pequenas prostituições do dia a dia”

http://mobground.net/pagando-por-sexo-e-as-pequenas-prostituicoes-do-dia-a-dia/

  • “Especial Dia das Crianças!!” (Porque foi divertido)

http://mobground.net/especial-dia-das-criancas/

  • “O suicídio de Amanda Todd e o sexo na mídia”

http://mobground.net/o-suicidio-de-amanda-todd-e-o-sexo-na-midia/

 

Não esqueça de participar da nossa promoção de aniversário!

promoção

Comente pelo Facebook

Felipe Storino é carioca, criado na Zona Norte do Rio de Janeiro e radicado no Espírito Santo. Possui três grandes paixões: o Flamengo, cinema e games. Sobre os games, começou nessa vida ainda na época do Atari e do Odyssey e nunca mais largou os joguinhos. Quando não está jogando, está assistindo filmes, séries ou lendo gibizinhos. Recentemente virou grande entusiasta dos jogos de tabuleiro, comprando mesmo quando não tem com quem jogar. É orgulhoso possuidor de um Super Nintendo e um Master System 3 originais.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta