Nos últimos dias, a internerd se dividiu entre os que gostaram de Prometheus e os que odiaram o novo filme de Ridley Scott, reclamando que a produção termina sem dar as respostas que prometeu e tal. Até comparações (absurdas, diga-se de passagem) com o final de Lost eu vi por aí. O problema do filme é que existem dois públicos para ele: os que foram assistir uma história sobre a criação da humanidade e os fãs da cinessérie Alien, que queriam descobrir a origem da criatura. Como eu me enquadro na segunda categoria, gostei bastante do filme.

Como dito acima, a história de Prometheus gira em torno da criação da humanidade. A cena inicial mostra um ser de forma humanoide bebendo um estranho líquido preto que o consome por dentro. Enquanto agoniza, ele cai na água, se desfazendo aos poucos, fazendo com que seu dna se misture com microorganismos presentes na água, supostamente dando origem à vida na Terra. A história avança milhões de anos e vemos um grupo de pesquisadores descobrindo uma caverna na Escócia com pinturas antigas que indicam que nosso planeta era visitado constantemente visitado por alienígenas. E mais, os mesmos deixaram pistas para serem encontrados.

Felizmente, essa parte na Terra dura pouco tempo e logo estamos no espaço acompanhando a nave Prometheus que partiu em busca dos tais aliens criadores da vida no planeta, ou Engenheiros, como são chamados na história. A partir daí a atmosfera do filme já começa a parecer com a da série Alien, com toda a tripulação hibernando durante a viagem, enquanto o andróide David cuida de tudo. Sim, mantendo a tradição da série, temos novamente um andróide cujos objetivos nunca ficam claros. Aliás, vale destacar aqui a brilhante atuação de Michael Fassbender no papel de David, que consegue realmente passar a impressão de se movimentar como uma máquina que apenas imita os humanos. Sem contar o tom de voz e as expressõs faciais que muitas vezes parecem ameaçadores sem nunca dizer isso com todas as letras.

Já os outros protagonistas do filme são apenas comuns. Temos lá o capitão da nave que possui um bom coração e está disposto a se sacrificar pela tripulação, a chefe da empresa que só pensa nela mesma, a dupla de cientistas covardes e a galera que está lá apenas para morrer. No lugar da tenente Ripley, Prometheus coloca outra mulher como protagonista, a doutora Elizabeth Shaw, que possui seus momentos de Ripley ao fugir pelos corredores da nave apenas usando roupas de baixo.

Depois de dirigir filmes de ação ambientados no passado, como Gladiador e Robin Hood, felizmente Ridley Scott não perdeu a mão para o terror espacial. Além dos corredores escuros, de onde pode pular um monstro a qualquer momento (ou não), o diretor ainda apresenta cenas externas muito angustiantes, como por exemplo, quando os personagens estão fugindo de uma tempestade que se aproxima. A primeira aparição de uma forma de vida não humana (tirando os Engenheiros) também é bem elaborada, não mostrando logo de cara que ela é hostil. Aliás, são poucos os ataques violentos ao longo do filme, o que torna tais cenas muito mais impactantes. E é impossível não se contorcer na cadeira na sensacional cena do parto.

Provavelmente o único grande defeito de Prometheus foi ter sido vendido como um filme novo e independente da série Alien, algo que não é totalmente verdade. Embora seja perfeitamente possível acompanhar toda a história sem nunca ter assistido a um filme da série, não há dúvidas de que os fãs vão se divertir muito mais. Praticamente todos os ambientes lembram os antigos filmes, com cenários repletos de características dos alienígenas. Em um dos aposentos existe até uma imagem do que seria uma rainha Alien, fora o sangue ácido das criaturas que, pelo que vimos no filme, foi a única característica que as criaturas mantiveram ao longo de toda a sua evolução.

E falando em evolução, também gostei bastante de ver como os Aliens chegaram até a forma que conhecemos dos antigos filmes, sempre se adaptando até conseguir chegar à forma perfeita de reprodução. Sem contar que descobrimos também como e porque eles acabaram sendo criados. Infelizmente, a revelação da verdadeira forma do Space Jockey (que aparece no primeiro Alien) me decepcionou um pouco, eu esperava que a forma deles fosse um pouco mais alienígena. O final também acabou ficando estranho porque, quando parecia que ia fazer uma ponte direta com o primeiro Alien, o filme acaba não fazendo isso, deixando um óbvio gancho para uma continuação do próprio Prometheus.

Sem apelar para a violência gratuita ou os sustos fáceis, Prometheus é um dos filmes de terror/suspense mais legais que surgiram nos últimos anos. Sem contar que a ambientação espacial, com corredores apertados e tudo mais, que surgiu ainda no primeiro Alien, continua extremamente assustadora e perturbadora.

Prometheus (EUA, 2012)

Diretor: Ridley Scott

Duração: 124 min.

Nota: 9

Comente pelo Facebook

Felipe Storino é carioca, criado na Zona Norte do Rio de Janeiro e radicado no Espírito Santo. Possui três grandes paixões: o Flamengo, cinema e games. Sobre os games, começou nessa vida ainda na época do Atari e do Odyssey e nunca mais largou os joguinhos. Quando não está jogando, está assistindo filmes, séries ou lendo gibizinhos. Recentemente virou grande entusiasta dos jogos de tabuleiro, comprando mesmo quando não tem com quem jogar. É orgulhoso possuidor de um Super Nintendo e um Master System 3 originais.

11 COMENTÁRIOS

  1. Mesmo o filme (teoricamente) não ter sido baseado no Alien (clássico) é notória as falhas no mesmo. A pergunta que faço é: se eles não tiveram o intuito de criar algo que não tivesse relação com o filme clássico, por que fizeram tantas referências? Na minha opinião eles fizeram sim o filme com o intuito de “parecer” uma “Origem do Alien” original para atrair os fãs e alavancar a bilheteria.

    Por fim, eu achei uma desculpa muito da esfarrapada usar a “Origem da Humanidade” como desculpa para o filme. Para mim (e creio que para os fãs do clássico também) o filme foi feito com o intuito de contar a origem do Alien, fato que eu particularmente sempre tive a curiosidade em saber (que por sinal falhou miseravelmente).

    E pelo amor de Deus, a mulher retira um “Alien” da barriga e depois faz tudo aquilo? É de fudê, né?! A cena do parto foi foda, mas o depois… Meu Deus! Também nem preciso falar do elenco com uma péssima atuação, mas com uma única salvação: Michael Fassbender que deu um show como você destacou.

    Como você bem disse:”a internerd se dividiu entre os que gostaram de Prometheus e os que odiaram o novo filme”, eu fui daqueles que realmente odiou.

    Se o filme for baixado e assistido em uma tarde de completo ócio até que vale a pena, mas pagar para assistir não vale mesmo. Contudo, se mesmo assim insistirem no erro se preparem para sair com a REAL vontade de pedir o dinheiro de volta, na minha opinião de merda é claro ;)

  2. Mas é óbvio que o filme é um prelúdio de Alien, o que acontece é que o Ridley Scott disse q estava ficando tão diferente de Alien que começaria outra franquia. Mas como eu mencionei, não ficou tão diferente assim e acho que muitos fãs do Alien original como eu vão curtir.

    E uma coisa é você dizer que não gostou da origem mostrada para os xenomorfos, outra coisa é dizer que o filme falhou em mostrar isso. Ficou bem claro durante todo o filme a origem deles, gostar ou não da resposta é um direito de cada um.

    Não entendo a revolta das pessoas com a cena do nascimento do Alien, todo filme de ação possui cenas onde os protagonistas fazem o impossível. A Ripley CANSOU de fazer o impossível na série. O problema é que muitas vezes ficamos com a imagem de quando vimos o filme pela primeira vez (na infância ou adolescência), uma época em que não éramos tão críticos. A gente acaba colocando esses filmes em um pedestal e não enxergando os possíveis erros que eles possam ter.

    Também não vi péssimas atuações no filme, o que ele possui são personagens clichês, que nada tem a ver com a atuação dos atores. E, mais uma vez, personagens clichês existem aos montes em qualquer filme. A série Alien mesmo sempre foi cheia de personagens que estavam ali somente para morrer e mostrar o horror que a criatura poderia causar.

  3. Aeee. Tinha acontecido alguma coisa com os feed? Não recebi nada por meses do mobground. E agora, numa botada recebi todos os posts :P

  4. Assisti em 3D e estou feliz por ter valido a pena cada centavo do dinheiro investido para pagar o ingresso.é o tipo de filme q vc vê passar muito rápido, pq fica penetrado, filmes mais monótonos as vezes vc olha pros lados, espera chegar uma cena mais interessante, mas prometheus ñ, vc fica grudado no filme, q é sensacional…e está me lembrando muito a nova trilogia do batman…o batman begins ñ foi tudo isso..mas o seguinte foi de arrasar e o terceiro deve ser espetacular tbm…então esse primeiro promethes foi apenas uma introdução, creio q nos próximos o “alien” participará com mais incisão e deixará a coisa ainda mais interessante..eu recomendo!

  5. Cara, eu também gostei muito do filme. Não só como alguém que esperava alguma referência com Alien (até porque eu fui ao cinema sem saber que haveria alguma), mas como um fã de sci-fi + terror.

    É verdade que o filme tem algumas falhas de bom senso dos personagens, como bem frisaram os caras do jovem nerd, mas o todo supera essas falhas (ao menos para mim).

    Aguardando a continuação dessa nova franquia, que pelo visto deve ter dado fim às referências ao Alien (ou não).

  6. Filme espetacular, sou fã de Alien e não lembrava, até fiz uma sessão do Alien o 8º passageiro depois do cinema pra relembrar, e vi muitas referências (muitas mesmo!)

    E sobre os personagens clichês, é como um amigo meu falou, acho que é uma pequena mostra que Ridley diz que o sexo feminino é dominador (não quero abrir uma discussão sobre isso). Percebam que todos os personagens masculinos são babacas, ou lesados (o que pode ser a mesma coisa), e já as mulheres, assim com as protagonistas de Alien, são duronas e aguentam muita pressão!

    Enfim, filmão, recomendadíssimo!

  7. FELIPE STORINO, vi ontem o filme em 3D mas não entendi porque os ALIENS foram criados, foi com o unico objetivo de acabar com humanidade ? E porque ? Se eles haviam criado a humanidade porque destruir ? Gostei muito dos efeitos sou fâ e sou suspeito, quero ver de novo…

    Forte abraço

    • O porque resolveram destruir a humanidade não é explicado, devem ter deixado para uma possível continuação. Quanto aos Aliens, o que eu entendi é que eles foram criados por acidente. A arma para destruir a humanidade era aquela gosma preta, mas as coisas deram muito errado e surgiram os xenomorfos.

Deixe uma resposta