[ARTE DA VITRINE]: Thiago Chaves (@chavespapel)

Leitores do NSN, a história é a seguinte: Era uma vez um blogueiro chamado Voz do Além que fez esse post falando sobre mensagens subliminares nos desenhos da Disney. Foi o maior rebuliço, com gente falando que isso era mentira, outros falando que a Disney é do diabo e coisa e tal. Algum tempo depois, eu fiz uma série de posts com versões “turbinadas” das garotas dos saudosos desenhos da nossa infância. No meio deles estavam as princesas da Disney, e adivinhem: mais escrotização! Falaram que eu sou pervertido, tarado, pedófilo, necrófilo e outras coisas que prefiro não citar.

Mais pra frente ainda, o Voz do Além, pra acabar com o rebuliço em torno da Disney, fez esse post “provando” que mensagens subliminares (as da Disney inclusas) realmente funcionam. Mais uma vez tivemos certa polêmica, então, para finalizar de vez com o assunto Disney, criei esse post sobre a origem dos contos de fadas usados como base para os desenhos da Disney. Sim queridos leitores, aqueles contos bonitinhos, fofinhos e meiguinhos que começam com “era uma vez” e terminam com “viveram felizes para sempre” têm em sua origem uma alta dose de putaria e sanguinolência. Coisas como pedofilia, incesto, mutilação e canibalismo eram bem naturais naquela época, então, abram suas mentes, e se preparem para nunca mais lembrarem da Cinderela, Bela Adormecida e Branca de Neve do mesmo jeito.

chapeuzinho

Chapeuzinho Vermelho

A história atual todos nós conhecemos: Chapeuzinho Vermelho, lobo mau, vovozinha e lenhador… Não preciso explicar certo!? Mas, na história original o lenhador não existe, na verdade a Chapeuzinho e sua vovó são devoradas e pronto, parou por ai, nada de final feliz aqui. Em outra versão ainda mais antiga, a Chapeuzinho faz um strip tease pro Lobo (que às vezes era representado por um lobisomem ou um ogro) para assim poder fugir enquanto ele esta “distraído”. Existe ainda uma versão mais bizarra da história, onde o Lobo estripa a Vovó e obriga a Chapeuzinho a jantá-la com ele. A Chapeuzinho, que não é besta, diz que precisa ir ao banheiro (que naquela época ficava do lado de fora das casas) e fugia. Percebam que, em todas as versões que citei, o Lobo sempre se dá bem no final, de uma forma ou de outra.

branca

Branca de neve

Na história original da Branca de Neve, a “madrasta malvada” (que em algumas versões não é madrasta e sim sua mãe original) não cai de um penhasco como é mostrado no final do filme da Disney. Ela na verdade é forçada a vestir sapatos de ferro em brasa e dançar até cair morta. Outra bizarrice nessa história é a idade da Branca de Neve. Na versão dos Irmãos Grimm ela tem apenas sete anos, ou seja, príncipes pedófilos eram normais naquela época. E ao invés de dar um “beijo de amor”, o Principie carrega o CORPO MORTO (ou adormecido, se vocês quiserem) da Branca de Neve para seu palácio, para que assim ela estivesse sempre com ele (isso pode ser considerado um tipo de necrofilia?). Depois de algum tempo, um de seus servos, cansado de ter que carregar um caixão de um lado pro outro, resolve descontar suas frustrações dando uma baita SURRA na Branca de Neve. Um dos golpes desferidos no estômago faz com que ela vomite a maçã envenenada e assim volte à vida.
Mas de todas as mudanças feitas através dos anos, a mais sangrenta foi em relação ao coração da Branca de Neve. Nas histórias mais antigas a rainha não pedia ao caçador para trazer só ele. Ela queria também outros órgãos principais como pulmão, fígado, etc. Fora isso ela também queria um jarro com seu sangue (acho que o caçador precisou mais que um cervo pra resolver isso). Vocês devem estar perguntando: “pra que tudo isso?”. Simples, ela queria JANTAR a branca de neve! Bizarro não!?

belaardomecida

A Bela Adormecida

Essa sim tem um passado bizarro. Nas primeiras versões, ao invés de espetar o dedo numa agulha e cair desacordada, a Bela Adormecida tinha uma “farpa” encravada debaixo da unha. Parece uma mudança pequena, mas ela nos leva ao ponto que realmente importa. Nessa mesma versão, o Príncipe não é tão encantado assim, e resolve, digamos… se satisfazer na Bela ainda adormecida. Depois de satisfeito, ele simplesmente vai embora (o enfermeiro tarado de Kill Bill não foi tão inteligente e acabou morto). Nove meses depois, a adormecida dá luz a gêmeos que, em busca de leite acabam acidentalmente chupando o dedo dela, retirando assim a farpa amaldiçoada.

E a coisa não para por ai, o Príncipe que a engravidou (estuprou) continuou voltando (se é que vocês me entendem) durante os nove meses. Quando ele chegou lá e encontrou a Bela, já não mais adormecida e com duas crianças, ele decidiu se casar com ela (pelo menos isso, né?), mas ele não poderia levá-la ao seu castelo, pois sua mãe era uma OGRA! (o feminino de ogro é ogra?) que tinha o hábito de comer qualquer criança que aparecesse em seu caminho.

Por isso ele esperou alguns anos até que seu pai morresse e ele virasse rei para aí então poder levar sua mulher para seu reino. E assim aconteceu, mas na primeira viagem que ele fez, sua mãe ogra resolveu fazer o que todo ogro tem que fazer: comer seus dois netos. E não satisfeita, também sua nora. Mas, com a ajuda do cozinheiro a Bela Acordada conseguiu se esconder até o retorno de seu marido (Rei “half-ogro”), que quando ficou sabendo dos planos de sua mãe (ogra) mandou mata-la. Bonito né!?

Em outras versões, o Príncipe na verdade já era rei, e a mãe ogra era a esposa do rei, o resto é bem parecido. A esposa ciumenta quer, como vingança, comer (no sentido alimentício) os dois filhos bastardos do rei, mas acaba sendo descoberta e é queimada viva numa fogueira.

Moral da história, se você encontrar uma mulher desmaiada num bosque, se divirta e não volte nunca mais. Ou, se você for uma ogra, não tente comer seus netos. Ou ainda, se vocês for uma mulher adormecida no meio do bosque, use cinto de castidade, ou ainda, não espete seu dedo numa agulha amaldiçoada!

Eu podia ficar nisso o resto da semana…

cinderela

Cinderela

Esse é um dos contos de fadas mais antigos já registrados, e com a maior quantidade de variações também (+ou-700). Algumas versões envolvendo um peixe gigante no lugar da fada madrinha datam de 850 AD! Em outras histórias, a fada madrinha é na verdade uma árvore que nasce sobre o túmulo da mãe da Cinderela.

Uma das modificações mais brutais ocorre no momento em que as irmãs malvadas tentam calçar os sapatos de cristal para enganar o príncipe. Numa versão bem bizarra da história, uma delas CORTA fora seus dedos do pé para vestir o sapatinho e assim enganar o príncipe. Mas ela é desmascarada pelos pássaros amigos da Cinderela, que mostram ao príncipe o sangue escorrendo pelos sapatinhos, e depois, como vingança, arrancam os olhos das duas irmãs que terminam suas vidas cegas e mancas.

Há ainda uma outra versão (na verdade, ela é tão diferente que alguns nem a consideram como uma versão e sim um tipo de CINDERELLA ORIGINS) onde a Cinderela era filha de um rei viúvo (algumas vezes, a própria Cinderela foi quem matou a mãe) que jurou nunca mais se casar, a não ser que encontre uma mulher tão bela quanto a falecida esposa, que tivesse os cabelos cor de ouro, e que conseguisse calçar os mesmos sapatos da finada (fetiche por pés sacou!?). Acaba que sua filha (Cinderela) preenche todos os requisitos, como 2 e 2 são 4, nada mais lógico que ele se casar com a própria filha.

Ela, por sua vez, na tentativa de fugir do casamento com seu próprio pai velho, barrigudo e incestuoso, foge pelo mar num armário de madeira (eu também achei estranho, mas fazer o que, os caras eram criativos, oras). No final ela consegue fugir, mas acaba do outro lado do mundo trabalhando como escrava na casa das irmãs malvadas, e daí pra frente começa a historia que vocês conhecem.

joaomaria

João e Maria

Essa por si só já é assustadora, afinal, um pai que larga os filhos na floresta para morrer de fome não é lá o tipo de coisa que se lê para crianças certo!? Mas, numa versão mais antiga, a madrasta má, que pressiona o marido a lagar seus filhos na floresta, e a bruxa má são a mesma pessoa. Achei isso bem esquisito, mas as duas personagens têm personalidade bem similar. Outra alteração feita durante os anos foi com relação à própria bruxa que, em certa versão da história, na verdade é um casal de demônios, e ao invés de cozinhar João, eles querem estripa-lo num cavalete de madeira.

Quando o demônio “macho” sai para uma caminhada, a “demônia” manda Maria ajudar João a subir no cavalete, assim, quando seu marido voltar, tudo já estaria preparado. A esperta Maria finge não saber como colocar João deitado e pede para a “demônia” mostrar como se faz. Quando ela deita no cavalete, João e Maria a amarram ela e rapidamente cortam sua garganta. Depois fogem levando o dinheiro e a carroça do pobre casal de demônios.

flautista

O Flautista de Hamelin

Nessa historia, um tocador de flautas mágico é contratado por uma cidade para livra-la de uma infestação de ratos. Ele cumpre seu papel, mas quando volta para receber seu tão suado dinheirinho, a cidade se recusa a pagar. Daí, como vingança, ele usa os poderes de sua flauta para raptar todas as crianças da cidade e só as devolve após receber seu pagamento. Até aqui tudo bonito, mensagem positiva e uma moral no fim da historia. Mas, o conto original não é bem assim. Nele, o encantador não devolve as crianças depois de receber da relutante cidade. Na verdade ele faz com que elas todas se afoguem num rio. E, em algumas versões ainda mais antigas, há referencias a pedofilia em massa dentro de uma caverna escura.

pequena

A pequena sereia

A grande diferença nesse conto está em seu final. Ao invés de se casar com o príncipe e viver feliz para sempre, a pequena sereia na verdade é abandonada por ele logo após ela beber a poção mágica que lhe transforma em mulher. Mas, como tudo tem seu preço, a poção tem um pequeno efeito colateral: durante o resto de sua vida, a pequena ex-sereia iria sentir uma dor tremenda nos pés, como se eles estivesse pisando constantemente em facas. Vendo a traição, alguém (juro que não consegui descobrir quem) oferece um punhal para que ela tenha sua vingança. Mas, ao invés disso, ela pula no mar e “morre” se dissolvendo em espuma. Bom, comparado com a Chapeuzinho Vermelho, essa é até bem tranqüila.

Para compor esse texto, e usei MUITAS fontes diferentes na internet, tantas que não poderei citar todas aqui (até porque nem lembro todas), mas vou deixar as três principais onde vocês poderão ler cada conto (coisa que eu estou fazendo) e conhecer um pouco mais sobre o assunto.

Aqui vocês encontraram vários contos de fadas diferentes, o problema e que estão todos em inglês.
http://www.pitt.edu/~dash/grimmtales.html

Esse site é excelente, tem tudo sobre contos de fadas, sua origem, adaptações, e outras coisas legais, dêem uma olhada no FAQ dele que tem mais coisas sobre as versões sinistras dos contos de fadas, mais uma vez, todo em inglês.
http://www.surlalunefairytales.com/index.html

Creio eu que esse dispensa apresentações correto!?
http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-66-era-uma-vez-um-nerdcast/

Comente pelo Facebook

Guerrilheiro Ontológico conhecedor das técnicas filosóficas sofistas. Anarquista individualista sem nenhuma preocupação de mudar o mundo! Mago do Caos! Dissidente da Verdade pronto para dar nós em todos os cérebros! Libertário! Jornalista especializado em games, quadrinhos, ocultismo e mind hacks! @VozdoAlem

27 COMENTÁRIOS

  1. Olá achei muito legal o texto sobre o verdadeiro conto de fadas.
    Parabéns você escreve muito bem, imagino que sua pesquisa deve ter dado muito trabalho, mas valeu a e pena ficou muito bom.

  2. Nossa que bacana conhecer estas histórias, você escreve muito bem, precisa conhecer uma escritora para crianças escrevendo histórias sobre rios e florestas, ela se chamada Maria José Viana da UBE União Brasileira de Escritores, as crianças iriam adorar vocês duas juntas. Tudo peças crianças..rsrsrsrs voz do além….

  3. muito acertado o seu texto e totalmente verdadeiro, os contos eram formas de ensinar moral e bons costumes através de alegorias, o livro: A PSICANALISE DOS CONTOS DE FADAS de BRUNO BETTELHEIM explica isso, se voce é pai, ou pretende ser, entender o que o conto provoca de reflexão sobre o proprio agir e o de outras pessoas, e a analise de situações perigosas ou conflitantes é de suma importancia

  4. “Verdadeiros”, entre aspas. Antes de serem compiladas por escrito essas histórias eram contados de pessoa para pessoa oralmente. Lembrem-se, quem conta um conto aumenta um ponto.
    As histórias originais que deram origem aos contos que conhecemos hoje se perderam a muito tempo! Essas versões sanguinolentos são apenas versões, assim com as da Disney. Cada uma de acordo com a moral da época.

  5. Realmente mto interessante! Já tinha lido sobre a um tempo atrás.
    Existem coisas que nao podem ser consideradas como esquisitas pq correspondem à época em que foram escritas ou alteradas. Por ex: o principe levar pra casa a princesa de uns 7 anos. Na Idade Média era normal a menina casar bem jovem (n sei se com 7 anos) mas casavam.

  6. A história da “Pequena Sereia” é uma criação de Andersen. Na verdade, príncipe nunca foi apaixonado por ela, gostava da sereia, que não tem nome ( aliás, ninguém tem nome nesse conto), como se “gosta de um animal ou de uma criança”. Era isso que ela era para o príncipe. Ela acredita que quem o salvou foi uma outra moça. E ele estava prometido de uma princesa. Quem lhe dá o punhal são suas irmãs, que deram os cabelos de ouro para a bruxa do mar, a mesma que trocou a poção pela língua da sereiazinha. Esse conto é extremamente triste (como quase todos os que foram escritos por Andersen), mas no fim ela encontra sua redenção, a alma imortal que ela tanto queria. ;)
    Se alguém quiser mais contos originais e tristes, recomendo também Oscar Wilde. Não são sangrentos, só causam depressão nas crianças e nos adultos que os leem. ;)

  7. bom na verdade a historia da pequena sereia foi que o principe reconheceu a princesa que o salvou do naufragio (onde a sereia conheceu pela primeira vez)dai depois que o principe se casa com a princesa a pobre sereia não tem outro jeito a não ser matar o casal senão morreria ao nascer do sol só que ela sente pena do jovem principe e decide não mata lo dai ela chega na praia e no nascer do sol ela se desfaz em espuma do mar pelo fato de ela não conseguir a alma imortal pois não conseguiu casar se com o principe como manda a mal dição

  8. Como estou pesquisando o assunto para a faculdade, vi que em chapeuzinho vermelho (uma das variantes) nao haveria vovózinha nem caçador, a chapeuzinho seria enganada pelo lobo e devorada. fim. triste ne? XD

    Na da pequena sereia li que quem havia dado o punhal para ela teria sido sua irmã (mas não lembro onde li).

    Parabens pela matéria!

  9. eu adorei isso e tao legal pra vc que esta lendo eu digo que adoro contos de fadas(nao assim contos de fadas contos sobre fadas)e sereias legal ne shoooooooooooooooooooooooooooooooooooow amei este site bruner bjs.

  10. Eu acho que deveriam parar de vender essas histórias para as crianças porque além de que são assustadoramente horríveis e que um dia elas vão descobrirem isso e ficaram tristes…
    Uma das piores histórias e da Alice no país das maravilhas que o autor na verdade era pedófilo,em uma das fotos antigas parece ele quase beijando a “verdadeira” Alice chamada Alice Pleasance Liddell e o autor é Lewis Carroll…

  11. eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee maiiiiiiiiiiiissssssssss ooooooooooouuuuuuuuuuuu mmmmmmmmeeeeeeeeennnnnnnnooooooooossssssssssss

Deixe uma resposta